Home 2017 março 31 Esperando em Deus na sociedade da pressa

Esperando em Deus na sociedade da pressa

 

 

“Quem espera por algo que já tem?” (Rm. 8.24)


Um poeta disse: “Esperar é o tormento do desejo”. Se existe algo difícil de suportar é a espera. Ela trabalha junto com o vulcão da ansiedade, com o desespero do tempo, com a angústia da expectativa. Não é fácil viver uma espera. Isso exige grande dose de paciência, compromisso, determinação. Acredito que o esperar é um dos grandes desafios do homem do século XXI, pois a síndrome do imediatismo tem atropelado os sonhos de muita gente. Vivemos na sociedade da pressa.


Qual seria a dor de uma espera? A realidade, a insistente demora do relógio ou a desconfiança? Talvez, um pouco disso tudo e uma pitada de pessimismo que sempre acompanha nossas aventuras pelos vales do desconhecido. Observe como as pessoas encaram a espera. Reféns da ilusão cronológica, alguns inventam um jogo novo, outros falam sozinhos, folheiam qualquer papel que contenha algo escrito, comem desesperadamente, olham compulsivamente para o relógio, andam de um lado para o outro, dilaceram as próprias unhas, assistem a qualquer tipo de programa televisivo…


Por outro lado, a dimensão do “esperar no Senhor”, implica em uma nova visão da própria espera. Ela não vem com a ansiedade porque o próprio Cristo nos ensinou a lançar sobre ele todas as nossas ansiedades (I Pe. 5.7); não carecemos de meios mirabolantes de distração pois o tempo não tem mais a face cruel de um “carcereiro das emoções”, mas agora, é apenas parte do próprio trabalho de Deus: “É ele quem muda os tempos e as horas” (Dn. 2.21). Não precisamos mais do desespero de falar sozinhos, pois a veia da comunicação está aberta e plena de possibilidades: “Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim” (Lc. 18.38).


Quando nossa mente se abre para essa dimensão, o esperar se torna uma dádiva, pois cada minuto se torna experiência, cada pequeno espetáculo da graça um mosaico, um memorial da fé, um presente do Eterno. Deus nos educa nessa espera bendita em que aprendemos que não é o tempo que teima em nos desafiar, mas Deus, o Senhor absoluto do tempo é quem nos leva ao encontro das grandes virtudes da fé. O tempo é parte fundamental da pedagogia de Deus.

 

Minha oração é: “Senhor, quero aprender a esperar em ti; aprender que a demora não significa esquecimento, mas providência, instrução, libertação das garras da sociedade da pressa. Quero aprender a observar cada uma das maravilhas que teu amor ministra a cada minuto”.
Apocalipse 22.12 é perfeito: “Eis que venho sem demora”. Jesus tira a demora da espera, para que descansemos em sua paz, na segurança de seu retorno!

Author: Alan Brizotti

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *